Resenha: Mr. Mercedes — Stephen King

Título: Mr. Mercedes (Trilogia Bill Hodges #1) 
Título Original: Mr. Mercedes
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 400
Lançamento: 2016
Onde Comprar: Buscapé

Sinopse: 

Uma alucinante corrida contra o tempo, em que três heróis improváveis tentam impedir um assassino de acabar com milhares de vidas

Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. O Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa.

Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso, e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado.

Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psicótica desse assassino é tão arrepiante quanto inesquecível.

Opinião:

Mr. Mercedes é o primeiro livro de uma trilogia cujo personagem principal é o detetive aposentado Bill Hodges, que se vê obrigado a voltar à ativa, mesmo que de maneira informal, ao receber cartas sobre um assassinato ocorrido anos antes, um atropelamento em massa, protagonizado por alguém mascarado a bordo de uma linda e esportiva Mercedes cinza. Diante de centenas de pessoas que estavam esperando a abertura de uma feira de empregos, um louco acelera, jogando o carro sobre a fila, matando 8 pessoas e deixando tantas outras com sequelas, fugindo logo em seguida.  
Além de lidar com um grande assassino, Hodges precisa enfrentar seus próprios medos, como a dificuldade que estava tendo para aceitar sua aposentadoria, ou então, o medo de retornar à ativa e não conseguir resolver este caso, fazendo com que o assassino tenha realmente razão e ele sinta que sua carreira de anos na polícia tenha sido um grande fracasso.

Hodges vai em busca da história de uma das vítimas do atropelamento e acaba se envolvendo emocionalmente com a família dela, fazendo-o entrar de cabeça nessa caçada.

Ajudado por improváveis colaboradores e buscando um assassino quase que invisível, Stephen King ingressa no perigoso mundo dos romances policiais, se aventurando em terras de Agatha Christie. O livro definitivamente não decepciona, apesar de ser completamente diferente de tudo que King já escreveu, fugindo daquele terror habitual, porém mantendo a maneira fria e detalhista de assassinatos, que chega a dar calafrios em quem está lendo, e a imprevisibilidade tão característica do autor.
Aos 68 anos, ele ingressa em um novo estilo literário e faz isso com maestria, pondo seu nome em risco. Ele consegue manter a essência maravilhosa de suas décadas e mais de dezenas de livros e ao mesmo tempo muda completamente tudo que se espera de um livro dele.

Mr. Mercedes foi lançado oficialmente no dia 2 de Junho de 2014 nos Estados Unidos, e demorou quase 2 anos para ser traduzido. A demora se deve a complexidade da maneira de traduzir o que King escreve, devido à grande quantidade de gírias utilizadas por ele e da imersão em diversos núcleos de assuntos diferentes, como informática e eletrônica.

O segundo livro da trilogia tem como titulo original “Finders Keepers” e foi traduzido para o português como "Achados e Perdidos”,  deve chegar às livrarias em Junho deste ano. O último livro, que deve encerrar a sequência de Hodges, terá o título “End of Watch” e ainda não tem data para lançamento no hemisfério norte, mas espera-se que seja liberado ainda este ano.
Mais um ótimo livro de um dos melhores escritores da história, que se aventura em um novo mundo e acaba se saindo muito bem, não é o melhor livro de King, mas não decepciona em nada, muito pelo contrário, agora além de termos um mestre do terror, quem gosta de romance policial ganha um dos melhores autores no estilo, um trabalho para começar com os dois pés na porta e no coração de quem e fã de literatura. O livro recebe

4 comentários

  1. Olá Bruno!
    Também gostei bastante do livro. Não vejo a hora de ler a continuação.
    Bjs

    EntreLinhas Fantásticas - Participe do nosso SORTEIO do DIA DO ORGULHO NERD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou terminando de ler a continuação, de longe não são os melhores livros do King, mas não deixam nada a desejar aos outros escritores desse tipo de livros.

      Assim que eu acabar tem resenha aqui de novo. Pode me acompanhar também pelo @bastos2612 no Twitter .

      Excluir
  2. Oi Bruno!
    Cara minha maior curiosidade pra começar ler esse livro é justamente saber como King ingressou nesse meio de romance policial.Imagino que deve ser com o brilhantismo de sempre!O jeito King de escrever imagino que vá dar um ar mais do que especial aos romances policiais.
    Acho legal ele se arriscar e com certeza tem tudo pra dar certo.
    Já quero comprar a continuação!
    Grande abraço!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem dúvida está é a principal questão deste livro: a maneira como um grande escritor arrisca seu nome é reputação em um novo ambiente.
      Apesar de não ser completamente diferente do que ele escreve, é bem difícil a mudança de gênero, e eu notei bem isso no estilo de escrita dele, ele tenta se habituar no nove desafio sem perder a essência principal do seu trabalho, mas acaba deixando de lado os pontos mais fortes dele dos seus livros, senti bastante falta daquele terror forte na descrição de cenas, visivelmente ele quis pegar mais leve e atingir um novo nicho de leitores.
      Assim como J.K. Fez depois de Harey Potter.

      Acho que ele sai um pouco prejudicado, me decepcionei um pouco, pois espero demais dele, mas comprado com os outros escritores atuais de romance-policial ele não fica devendo nada.


      Excluir

Topo